Por que Ruki é a melhor personagem de Digimon?


Quando Digimon Tamers começou a ser exibido no Brasil, o gênero de animes com monstrinhos já tinha sido explorado a exaustão... Pelo menos era isso que muitos pensavam. Tamers foi uma grata surpresa para o gênero. Com uma pegada surpreendentemente madura, enquanto que ainda fundamentada no universo de Digimon, devido - em grande parte - ao melhor personagem do anime: Ruki Makino!

A genialidade de Tamers se deve ao grande esforço de Chiaki J. Konaka, o brilhante escritor por trás de grandes animes como The Big O e Serial Experiments Lain. Konaka trouxe para Digimon um forte componente psicológico, que raramente é visto em animes shonen (dirigido a meninos). Geralmente, os shonen sempre trazem aquele arquétipo do herói destemido e que ama aventuras. Mesmo que Digimon já nos tivesse apresentado antes alguns personagens interessantes, Tamers levou isso a um próximo nível.

A maioria dos animes começa com um protagonista masculino que possui alguma habilidade única e incrível, que o distingue de todos os outros. Em qualquer outro anime, Ruki teria sido um personagem que seria apenas "legal", para tornar o personagem principal, Takato, ainda mais legal. Porém, em Tamers, não foi bem assim.

Ruki já começa o anime bem mais experiente que o protagonista. Ela é implacável, e até repreende seu Digimon, Renamon, nas raras situações em que as coisas não vão bem para ela. No universo de Tamers, Digimon é um card game para crianças, e Ruki é uma das melhores jogadoras. Todo mundo está impressionado e intimidado por ela. Nós também temos uma visão do seu âmbito particular: ela está infeliz com a sua vida. Seus pais são divorciados, e ela raramente vê seu pai. Sua mãe é uma modelo com muito pouco tempo para prestar atenção na filha, e todos esperam que Ruki cresça para também se tornar uma modelo, porém, ela claramente está mais interessada em sair lutando e batendo nas pessoas do que parecer bonita para uma câmera.

Ao contrário das séries de Digimon antecedentes, não existe nenhuma pitada de romance para a Ruki. Ela não está preocupada em beneficiar mais ninguém. Ela quer ser a melhor, e, com exceção de seu rival Ryo Akiyama, ela é.

Ruki protagoniza a história mais interessante, e contraditória, da série. Ela quer coisas que são opostas a suas necessidades. Takato e Lee, os outros dois protagonistas do anime, na verdade não tem grandes objetivos. Enquanto Ruki, apesar de querer ser a melhor domadora de Digimons, na verdade realmente precisa se aproximar de outras pessoas. Seu maior problema é a incapacidade de se conectar a qualquer um, e é nesse "buraco negro de sentimentos" que Kanaka e o resto da equipe de Tamers mergulham.

O crescimento de Ruki ao longo da série, começa com sua necessidade de se aproximar de outras pessoas e, durante os 51 episódios de Tamers, ela consegue mudar. Ela se torna uma amiga intima dos demais protagonistas, age como uma irmã mais velha para Jeri Katou, e até se reconecta com sua mãe. Um ato de sacrifício, no episódio 39, permite que ela desbloqueie o potencial total de Renamon, se fundindo na incrível Sakuyamon, que é um dos Digimons mais legais de todos.


Perto do final da série, Ruki renuncia seu poder para Justimon (o Digimon de Ryo) ter uma chance de lutar contra o inimigo. Para a Ruki que começou a série, desistir de seu poder seria algo impensável, principalmente em se tratando do Ryo. A lágrima de adeus a Renamon, no final da série, é genuína. Ruki está realmente triste por perder a sua parceira, algo inimaginável no começo da série, onde ela via os Digimons apenas como ferramentas para lutar.

Claro que existem animes com histórias mais complexas, porém, sempre tive um carinho especial por Digimon e, especialmente, por esta personagem. Essa menina foi abandonada e ferida por tantas pessoas, que ela simplesmente decidiu que não precisava mais delas. O anime começa no momento em que ela coloca uma barreira entre si mesma e todas as outras pessoas, e todo o restante da série mostra como ela conseguiu derrubar essa barreira e se tornou uma pessoa mais feliz e saudável.

Claro, Digimon pode ser um anime para crianças, mas Tamers conseguiu desenvolver um amadurecimento notável de um personagem, e ver isso acontecer de forma tão tocante, com certeza é uma sensação única para todos que tem a oportunidade de assistir.