Três anos após Digimon Hunters


 

Ambientado um ano após o final do segundo arco da temporada Xros Wars (atualmente em exibição no Brasil pelo nome Digimon Fusion), o terceiro arco, Jovens Caçadores que Pulam Através do Tempo acompanha as aventuras de Tagiru Akashi, um garoto energético e descuidado, mas que sempre se arrisca ao máximo para proteger seus amigos. Apesar de ter um temperamento exótico, ao lado de Gumdramon, o pequeno Digimon Dragão, além de Mikey Kudo e vários outros parceiros, o garoto se aventura pelo DigiQuartz, uma dimensão alternativa entre o mundo humano e o digimundo onde os Digimons acabam se perdendo, para então capturá-los.

Três anos após o começo de sua exibição original no Japão, este arco ainda gera muita polêmica, ao ser comparado ao “esquema Pokémon” de captura e coleção de monstrinhos – conceito este usado com maior amplitude no MMO Digimon Masters – e, em sua maior parte, enredos de episódio único, onde os episódios não possuem os então conhecidos cliffhangers (recurso em que um episódio acaba em seu clímax, para que continue a ser desenvolvido no próximo). Logo em suas primeiras semanas de exibição, houve uma grande divisão nos grupos de fãs de Digimon: um lado, mais liberal, acolhia o novo estilo de desenvolvimento, enquanto o outro, conservador, batalhava com todas as forças para alterar a situação.

Vimos então, durante os 25 episódios de Digimon Hunters (forma comprimida do título, usada frequentemente) uma verdadeira enchente de comentários em blogs, fóruns, redes sociais e muitos outros daqueles que estavam contra ou a favor do novo rumo que o anime seguia. A situação chegou a ser caótica em algumas comunidades internacionais, que tiveram seus picos de acesso durante streamings (exibições ao vivo) dos episódios.

Porém, não se pode considerar a obra apenas pelo seu começo ou pelo seu fim, e sim por sua totalidade. Houveram vários episódios memoráveis, como aqueles em que histórias antigas – como as do Pinocchimon da Zona do Lixo – foram continuadas, gerando até mesmo novas fusões muito bem trabalhadas. Ainda neste ponto, podemos também considerar algumas fusões temáticas que agradariam qualquer um que tenha as temporadas iniciais como suas preferidas, como a união de dois digimons representantes do Brasão da Confiança, Plesiomon e Submarimon, durante o 19º episódio.
Além disso, houve também a estréia de muitos Digimons criados por fãs japoneses, como Ekakimon e Jokermon, fator presente em outras temporadas também, mas parcialmente esquecido durante o começo de Xros Wars.

Os temas de inserção também não deixaram a desejar. Tagiru Chikara, pela banda de pop-rock japonesa Psychic Lover agradou e muito, sendo considerada um dos melhores temas de evolução japoneses. Shining Dreamers e Legend Xros Wars, além de, é claro, os temas herdados dos arcos anteriores, como We are Xros Heart, tornaram cenas muito mais dinâmicas e agradáveis, além de adicionar aquele "up" nos momentos de maior ação dos episódios: as batalhas entre os monstros dos caçadores e os selvagens. A abertura ficou por conta da dupla Twill, dividindo gostos entre todos com Stand Up.

No entanto, mesmo com tudo isto, é fácil entender o repúdio de boa parte contra este arco. Não havia uma sequência lógica de eventos entre a maioria dos episódios, com pouquíssimas exceções, e ideias como as “coleções” dos caçadores não foram bem aproveitadas, com o próprio protagonista usando poucas vezes outros digimons que não Gumdramon e suas evoluções em batalha, e mesmo em fusões o aproveitamento era mínimo. Muitos personagens foram apresentados de forma “jogada”, sem muitas explicações, deixando grandes interrogações na cabeça de muitos, até mesmo aqueles que acompanhavam fielmente a exibição.

Como forma de agradar o segundo lado, seus episódios finais apresentaram uma reunião – simplória mas cheia de “fan-service” – dos “garotos dos óculos de natação, feat. Marcus Damon”, incluindo até mesmo os dubladores originais da maioria dos protagonistas e digimons no Japão (algumas exceções incluem Veemon e Guilmon). Porém, novamente, houve conflito entre os fãs de Digimon: haviam aqueles que viam o enredo final apenas como uma forma de não terminar mal o terceiro arco, enquanto outros aplaudiam calorosamente a reunião lendária.

Agora, queremos saber a sua opinião! Digimon Hunters foi realmente uma marca obscura no legado do anime de monstros digitais? O modelo “Pokémon” poderia ter sido melhor trabalhado pela produção? Ou então, você acredita que os erros cometidos farão com que o próximo anime de Digimon, continuação de Adventure 02 que será lançado ano que vem, esteja impecável para todas as extensões da comunidade de Digimon?
André Chris  

Achei o terceiro arco um cocô, justamente pela falta de lógica. Achei que o anime só encheu linguiça pra no final fazer aquela reunião lendária, que aliás, se o propósito era mesmo esse, deveria ser muito mais explorado. Não senti gosto de assistir em momento algum e os episódios são nada empolgantes! Tajiru é irritante pra caraio! É melhor assistir a milésima reprise do pica pau! Resumindo, tirando dois ou três episódios, o arco não prestou.

Anônimo  

Sinceramente, esse arco tava bom, até... A parte que introduzem de forma bruta (entendam como quiserem) os digiescolhidos das outras temporadas sem NENHUMA EXPLICAÇÃO LÓGICA! Tipo, tem o Tai e o Matt de 11 anos lutando junto com Davis, que tem 11 anos quando os dois tem 14 (ou 15)!!! Sem falar que do nada eles somem/voltam pro próprio tempo. Porra, se o Tai ficou junto do Davis, o Davis provavelmente contou de suas aventuras e o Tai, visando proteger todo mundo, deve ter feito algo para fazer tudo ir mais rápido (tipo, sem enrolação pra descobrir quem é o Imperador Digimon, ou quem tá usando as torres negras).
Esse final ficou sem explicação

haals sauro  

anonimo so quem assiste series syfy que entende o q aconteceu e o porque deles nao fazerem nada para mudar os eventos que ocorreram , pois quando voce volta para a sua linha temporal , voce esquece de tudo o que voce fez ou seja pra eles e como isso nunca tivesse ocorrido eles so lembrariam se eles tivessem num paradoxo temporal , mais eles so viajaram no tempo ... e esse arco foi bom , comparados aos 2 arcos foi ruim , mais eles nao poderiam prolongar mais ja que o inimigo deles eram o quartzmon , para eles ageitarem tudo eles teriam que fazer arco 4 e essa é a minha opiniao e eu gostei da viagem temporal deles pois tem um pouco o barulho da TARDIS...